terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Para quem foge, e não quer fugir

Trazes no olhar um medo que não entendo, que não consigo sustentar...um medo que não condiz com quem trazes todos os dias. Um medo que não se entrelaça nos teus caracóis, nem percorre o teu sorriso...apenas se insere nos teus olhos...bem lá no fundo, para quem sabe olhar. Porque só decifrando as tuas meninices se percebe o quanto te assusta o que não conheces, ou melhor, o que pensas não vir a conhecer.
Mesmo assim carregas o Mundo contigo, e permaneces no mundo de cada um de nós...a cada gargalhada tua, a cada abraço teu.
Será que já olhas-te para ti enquanto voas? Já olhas-te para ti quando enches os dias de azul? Não, pois não? Sabes porquê? Porque te recusas a olhar para o espelho que tens à frente, mas para o espelho verdadeiro, não para esse que alguém partiu um dia e onde apenas vês reflectidos pedaços de ti que estão distorcidos.
Penso que desconheces a tua força...
Só porque alguém um dia se lembrou de te roubar os sonhos, ou só porque alguém um dia, pura e simplesmente, não te deixou sonhar...
Não deixes morrer o que ai tens dentro...não apagues o brilho que trazes...porque nesse dia apagar-me-ei contigo...

2 comentários:

Afilhada Sara disse...

Não quer fugir, mas sente ter de fugir.
Espero que apanhes o voo de quem foge.

Beijinho, continua a escrever assim que inspiras-me :)

*jani* disse...

foge que eu apanho-te! ;P


beijoo minha doida ;)